Museu Nacional anuncia descoberta do maior dinossauro carnívoro do Brasil

O Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) anunciou a descoberta do maior dinossauro carnívoro do Brasil. Batizada de Oxalaia quilombensis, a espécie faz parte do grupo de espinossaurídeos, dinossauros com crânio alongado e espinhos que formam uma espécie de vela nas costas.

Acredita-se que o animal, que media entre 12 e 14 metros (do crânio à ponta da cauda) e pesava entre 5 e 7 toneladas, viveu há cerca de 95 milhões de anos, no litoral do Maranhão. Antes da descoberta do Oxalaia quilombensis, o maior dinossauro carnívoro brasileiro era o Pycnonemosaurus, que media 9 metros.

A espécie foi identificada a partir de um conjunto de fósseis, com partes do maxilar e dentes do dinossauro, encontrado em 1999 na Ilha do Cajual, no Maranhão. A identificação da espécie e a divulgação da descoberta, no entanto, demorou 12 anos.

Ele era o réptil dominante da Ilha do Cajual. E esse é um grupo de dinossauros que desperta grande interesse não só aqui no Brasil quanto lá fora, porque tem características diferentes de outros dinossauros carnívoros. E, por ter sido uma das estrelas do filme Jurassic Park, ele chama muita atenção.

O dinossauro brasileiro também é considerado o segundo maior espinossaurídeo do mundo, ficando atrás apenas do Spinosaurus aegyptiacus, identificado em 1915, no Egito. Duas espécies de espinossaurídeos já haviam sido descobertas no Brasil, na Bacia do Araripe: Irritator challengeri e Angaturama limai. O nome Oxalaia é uma homenagem à divindade africana Oxalá e quilombensis se remete ao fato de que a Ilha do Cajual já foi um quilombo, onde viveram descendentes de escravos.

Também foram anunciadas hoje, na Academia Brasileira de Ciências, mais três descobertas paleontológicas brasileiras. Entre elas está uma nova espécie de crocodiloformo (antepassado dos crocodilos) de 80 milhões de anos, chamado de Pepesuchus deisae. O crânio do réptil foi encontrado na Bacia Bauru, em São Paulo.

Outra descoberta foi o fóssil, de 7 milímetros, de um maxilar com sete dentes de um lagarto pré-histórico, ocorrida em Presidente Prudente, em São Paulo. A espécie batizada de Brasiliguana prudentis, que media de 15 a 20 centímetros, viveu entre 70 milhões e 80 milhões de anos atrás.

Também foi anunciada a descoberta de penas fósseis de dinossauros de 115 milhões de anos, na Bacia do Araripe.

http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/2011/03/16/museu-nacional-anuncia-descoberta-do-maior-dinossauro-carnivoro-do-brasil.jhtm

7 Respostas

  1. iai candinho bll?? gostei pra caramba dessa entrevista,achei muito interessante,e é muito legal o trabalho dos cara -achar fossil de dinossauro- ainda mais encontrar um medindo em média 12 a 14 metros de comprimento. abraço candinho

  2. super lega candinho,
    tah aqui as fotos dos ossos do animal

  3. Adorei saber do dinossauro Candinhooo.
    Num sabia que era o maior do brasillll!
    Bjss Ana Carolina setimo A

  4. Por que o’Oxalaia Qulombensis’ só tem nome científico?

  5. Candinho algum dia eu voo pra esse museu do Rio, quando crescer vou ser arqueologo ou paleontolago e vou procurar muitos dinossauroso q vc acha da mnha idea?

  6. oi candinho,estava vendo essa incrivel reportagem,e,descobri que o brasil pode ser uma grande brigada de fósseis,me esforço muito na sua aula pois é a mais legal,abraços vinícius José!!!

  7. Acho muito interessante essas descobertas, é realmente muito legal !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: