História do Rock

rock

 

HISTÓRIA DO ROCK

O rock and roll surgiu nos Estados Unidos durante a década de 1950, da junção entre a música negra e a européia. O blues se encontra nas raízes do rock e sua denominação decorre da palavra “blue”, que em inglês também significa “triste”, “melancólico” e se transformou na principal base para a revolução musical da década de 50.

Uma das características mais importantes do rock era o acompanhamento de guitarra elétrica, bateria e baixo. Com letras simples e um ritmo dançante, caiu rapidamente no gosto popular. Apareceu pela primeira vez  num programa de rádio no estado de Ohio (EUA), no ano de 1951.

Os principais atingidos pela revolução sonora foram os jovens, inicialmente nos Estados Unidos e depois no mundo todo. Nos primeiros anos da década de 1950, estes jovens se encontravam em meio a disputas entre o capitalismo e o comunismo e a uma valorização do consumismo, da modernização, fruto do progresso científico gerado no pós-guerra.

Nessa época, a tradicional sociedade norte-americana passou a ser contestada pelos jovens, os quais foram rotulados de rebeldes sem causa. Os filmes de Hollywood representavam a alienação jovem; o personagem de James Dean, no filme Juventude Transviada (1955), representava o comportamento adotado pela juventude: recusar o mundo sem, no entanto chegar a uma visão crítica da realidade.

Dessa maneira o rock’n’roll, surgiu na América como um movimento da contracultura, visto que suas primeiras manifestações eram contrárias aos valores daquela sociedade.

  

O rock na década de 1950 : primeiros passos

rock2

É a fase inicial Do rock, ganhando a simpatia dos jovens que se identificavam com o estilo rebelde dos cantores e bandas. No ano de 1954, Bill Haley (imagem) lança o grande sucesso Shake, Rattle and Roll. No ano seguinte, surge no cenário musical o rei do rock Elvis Presley. Unindo diversos ritmos como a country music e o rhythm & blues. O roqueiro de maior sucesso até então, Elvis Presley lançaria o disco, em 1956, Heartbreaker Hotel, atingindo vendas extraordinárias. Nesta década, outros roqueiros fizeram sucesso como, por exemplo, Chuck Berry e Little Richard.

O rock nos anos 60: rebeldia e transgressão

Esta fase marca a entrada no mundo do rock da banda de maior sucesso de todos os tempos : The Beatles. Os quatro jovens de Liverpool estouram nas paradas da Europa e Estados Unidos, em 1962, com a música Love me do. Os Beatles ganham o mundo e o sucesso aumentava a cada ano desta década.
A década de 1960 ficou conhecida como Anos Rebeldes, graças aos grandes movimentos pacifistas e manifestações contra a Guerra do Vietnã. O rock ganha um caráter político de contestação nas letras de Bob Dylan. Outro grupo inglês começa a fazer grande sucesso : The Rolling Stones.

rock3

No final da década, em 1969, o Festival de Woodstock torna-se o símbolo deste período. Sob o lema “paz e amor”, meio milhão de jovens comparecem no concerto que contou com a presença de Jimi Hendrix e Janis Joplin.
Bandas de rock que fizeram sucesso nesta época : The Mamas & The Papas, Animals, The Who, Jefferson Airplane, Pink Floyd, The Beatles, Rolling Stones, The Doors.

O rock nos anos 70 : disco music, pop rock e punk rock

rock4

Nesta época o rock ganha uma cara mais popular com a massificação da música e o surgimento do videoclipe. Surge também uma batida mais forte e pesada no cenário do rock. É a vez do heavy metal de bandas como Led Zeppelin, Black Sabbath e Deep Purple. Por outro lado, surge uma batida dançante que toma conta das pistas de dança do mundo todo. A dance music desponta com os sucessos de Frank Zappa, Creedence Clearwater, Capitain Beefheart, Neil Young, Elton John, Brian Ferry e David Bowie.
Bandas de rock com shows grandiosos aparecem nesta época : Pink Floyd Genesis, Kiss, Queen e Yes.

Anos 80 : um pouco de tudo no rock

A década de 1980 foi marcada pela convivência de vários estilos de rock. O new wave faz sucesso no ritmo dançante das seguintes bandas: Talking Heads, The Clash, The Smith, The Police.
Surge em Nova York uma emissora de TV dedicada à música e que impulsiona ainda mais o rock. Esta emissora é a MTV, dedicada a mostrar videoclipes de bandas e cantores.
Começa a fazer sucesso a banda de rock irlandesa chamada U2 com letras de protesto e com forte caráter político. Seguindo um estilo pop e dançante, aparecem Michael Jackson e Madonna.

Anos 90 : década de fusões e experimentações

rock5 

Esta década foi marcada por fusões de ritmos diferentes e do sucesso, em nível mundial, do rap e do reggae. Bandas como Red Hot Chili Peppers e Faith no More fundem o heavy metal e o funk, ganhando o gosto dos roqueiros e fazendo grande sucesso.
Surge o movimento grunge em Seattle, na California. O grupo Nirvana, liderado por Kurt Cobain, é o maior representante deste novo estilo. R.E.M., Soundgarden, Pearl Jam e Alice In Chains também fazem sucesso no cenário grunge deste período.
O rock britânico ganha novas bandas como, por exemplo, Oasis, Green Day e Supergra

 

 

 

O Rock no Brasil

rock6

O primeiro sucesso no cenário do rock brasileiro apareceu na voz de uma cantora. Celly Campello estourou nas rádios com os sucessos Banho de Lua e Estúpido Cupido, no começo da década de 1960. Em meados desta década, surge a Jovem Guarda com cantores como, por exemplo, Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa. Com letras românticas e ritmo acelerado, começa fazer sucesso entre os jovens.
Na década de 1970, surge Raul Seixas e o grupo Secos e Molhados. Na década seguinte, com temas mais urbanos e falando da vida cotidiana, surgem bandas como: Ultraje a Rigor, Legião Urbana, Titãs, Barão Vermelho, Kid Abelha, Engenheiros do Hawaii, Blitz e Os Paralamas do Sucesso.
Na década de 1990, fazem sucesso no cenário do rock nacional : Raimundos, Charlie Brown Jr., Jota Quest, Pato Fu, Skank entre outros.

Você sabia?

Comemora-se em 13 de julho o Dia Mundial do Rock.

 

 

 

 

A Origem das férias

 
 

Há séculos atrás, os romanos costumavam tirar um dia de descanso conhecido como “feria”. Assim como hoje, naquela época (século III), os dias da semana eram sete e tinham a palavra “feria” acompanhada do seu nome: “Prima feria, Secunda feria, Tertia feria, Quarta feria, Quinta feria, Sexta feria e Septima feria”.

Mais tarde,”prima feria” recebeu o nome de “Dominiciues dies”, que significava dia do Senhor, e “Septima feria” transformou-se em “Sabbatu”, dia em que os primeiros judeus cristãos se reuniam para orar. Atualmente, conhecemos estes dois dias como Domingo e Sábado, nossos dias de descanso.

Com o passar do tempo, além dos finais de semana, surgiram também as férias escolares e as férias do trabalho. São períodos mais longos, normalmente 30 dias, aos quais todas as pessoas tem direito; usados principalamente para o descanso do trabalho e  dos estudos .

REVOLUÇÃO DE 1932

PARA COMPREENDER A HISTÓRIA

Uma revolução, acontece quando em um curto período ocorrem grandes transformações em uma sociedade.Se essas transformações se dão durante longos periodos,  passam desapercebidas e acabam sendo consideradas parte de um processo “evolutivo”.

Outra necessidade que há para que uma revolução se torne bem caracterizada é o sucesso do movimento revolucionário. Caso contrário apenas poderiamos considerar-lo como tentativa de revolução, ou uma revolução sufocada.

Existe também diferenças  entre o que é revolução e o que é golpe de Estado. A ditadura militar brasileira, que iniciou em 1964, foi chamada de revolução por aqueles que a fizeram. Até hoje existem aqueles que a nomeiam por golpe militar  os que chamam de revolução de 64.

julho

julho2

Dia 9 de julho, São Paulo comemora O “Dia do Soldado Constitucionalista”. O povo  paulista considera a Revolução de 1932 o maior movimento cívico de sua história.

 O movimento foi uma resposta paulista à Revolução de 1930, que acabou com a autonomia que os estados gozavam durante a vigência da Constituição de 1891. A revolução de 1930 impediu a posse do governador de São Paulo Júlio Prestes na presidência da República e derrubou do poder o presidente Washington Luís que fora governador de São Paulo de 1920 a 1924

julho3Os conflitos ocorreram  entre os meses de julho e outubro de 1932, onde o Estado de São Paulo visava a derrubada do Governo Provisório de Getúlio Vargas e a promulgação de uma nova constituição para o Brasil. No total, foram 87 dias de combates, (de 9 de julho a 4 de outubro de 1932 – sendo o último dois dias depois da rendição paulista, quando foi derrotado militarmente. Em 9 de julho, Vargas já havia iniciado a Constituinte e já havia nomeado um interventor paulista – as duas grandes exigências de São Paulo. Isso, porém, não evitou o conflito, pois a elite paulista almejava voltar a dominar a política nacional, como o fazia anteriormente.

23 de maio?

 O dia 23 de maio de 1932 também foi determinante para os revolucionários. Foi neste dia que o povo saiu às ruas, com o objetivo de lutar pela constituição, e cinco jovens foram alvejados no centro da cidade de Sâo Paulo. Quatro desses rapazes, morreram imediatamente, e o quinto foi encaminhado gravemente ferido para  o hospital., falecendo dias depois.É também o data em que se comemora o “Dia da Juventude Constitucionalista”.

 O ESTOPIM

 O estopim da revolta foi a morte de cinco jovens no centro da cidade de São Paulo, assassinados por partidários governistas em 23 de maio de 1932, dando origem a um movimento de oposição que ficou conhecido como MMDC, atualmente denominado oficialmente de MMDCA, em homenagem a Orlando de Oliveira Alvarenga, ferido juntamente com seus colegas Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo, mas que veio a falecer em agosto de 1932 em razão dos ferimentos.

Esse fato levou à união de diversos setores da sociedade paulista em torno do movimento de constitucionalização. Neste movimento, tanto se uniu a oligarquia que pretendia a volta da supremacia paulista no poder quanto segmentos que desejavam a implantação de uma verdadeira democracia no Brasil. Entre os voluntários, estavam os escritores Monteiro Lobato e Mário de Andrade, que fizeram campanhas a favor dos constitucionalistas em rádios de São Paulo.

O movimento estendeu-se até 2 de outubro de 1932, quando foi derrotado militarmente.  Em 9 de julho, Vargas já havia iniciado a Constituinte e que já havia nomeado um interventor paulista – as duas grandes exigências de São Paulo. Isso, porém, não evitou o conflito, já que o que a elite paulista realmente almejava voltar a dominar a política nacional, como o fazia anteriormente.

julho4

Mário Martins de Almeida (Martins)

Euclides Bueno Miragaia (Miragaia)

Dráusio Marcondes de Sousa (Dráusio)

Antônio Américo Camargo de Andrade (Camargo)

julho5

A Escola Politécnica de São Paulo foi transformada num autêntico arsenal de guerra. No então Laboratório de Ensaios de Materiais (LEM) da Escola Politécnica de Engenharia foi criado o Departamento Central de Munições (DCM), que contou com o engajamento de Setecentos e quarenta engenheiros e trezentos e quarenta técnicos auxiliares e inúmeros químicos trabalhavam incessantemente. Fabricavam-se munições de infantaria, morteiros leves e pesados, Trens e automóveis foram blindados; canhões pesados, montados nas vias férreas. No entanto um engenhoso recurso utilizado pelos paulistas na revolução ganhou destaque pela sua criatividade, foi a matraca, que recebeu o apelido de “o cavalo de tróia paulista”. O aparelho era composto por uma lâmina de aço em contato com uma roda dentada. Girando a roda em grande velocidade, o atrito com a lâmina provocava tremendo ruído, semelhante ao de metralhadora ao disparar. Isso causava intenso pânico no inimigo, chegando a conter por vinte dias o avanço das tropas inimigas.

julho6

Milhares de pessoas de todas as classes sociais doavam pratarias, jóias e alianças para ajudar financeiramente a revolução

PARTICIPAÇÃO FEMININA

 julho8A mulher paulista participou ativamente do movimento revolucionário, trabalhando na retaguarda até ao preparo do material bélico. Dentro de suas possibilidades, lutou sem esmorecimentos. Até nas trincheiras ela esteve. De Catanduva várias jovens fizeram parte do Batalhão Feminino “Estrela do Sul”. Essas jovens arrecadavam remédios, roupas, viveres para os soldados que estavam em batalha.

 julho9

ORTEGA E JOSUÉ

 Antonio Ortega de Haro e Josué de Grande foram jovens catanduvenses que perderam suas vidas durante a revolução. Esses rapazes deixaram suas famílias e foram se juntar às tropas revolucionárias paulistas. Infelizmente, jamais voltaram a ver sua querida Catanduva, porém, deixaram um exemplo de amor a Pátria e civismo, que devemos nos orgulhar até hoje.

Antonio Ortega de Haro (1923/08/1907-25/04/1932) foi morto em combate e enterrado na própria trincheira. Seu corpo foi translado para Catanduva no ano de 1933 e encontra-se sepultado no Cemitério Nossa Senhora do Carmo.

Josué de Grande (19/07/1906 -21/09/1932) – nos campos de batalha contraiu uma grave doença que comprometeu seu fígado. Doente, foi transferido para São Paulo, onde faleceu poucos dias depois.

O “Fantasma da Morte”

julho10

Além de levar os soldados para as frentes de batalha, o trem foi adaptado pelos paulistas para, atacar as linhas inimigas. O trem blindado, ou “Fantasma da Morte”, como foi apelidado pelos combatentes, foi uma composição formada por dois carros, um de cada lado da máquina e revestidos de aço (duas placas de aço entremeadas de pranchões de cerne de peroba duríssima). Camuflado (era pintado com listas de diversas cores), o trem era equipado com canhão de 75 milímetros e metralhadoras pesadas nos flancos, e carregava dois potentes holofotes na parte superior.
Apenas duas composições do trem blindado foram fabricadas, em Sorocaba/SP, especialmente para atender às tropas paulistas, na revolução de 32.

SÃO PAULO SE RENDE, MAS VENCE

Embora derrotada nas armas, a revolução paulista conquistou todos seus objetivos. E começara a conquistá-los logo ao iniciar-se. No mesmo dia em que começou o levante, Getúlio Vargas decidiu nomear a comissão de constitucionalização. Em 25 de julho ordenou o alistamento eleitoral. Depois, ao convocar a assembléia constituinte, mostrava que aos vencidos caberia a vitória final.

julho11

Após a Revolução de 32, a bandeira que apenas era um símbolo de São Paulo passou a ser a bandeira oficial. O mapa do Brasil na bandeira simboliza a luta dos paulistas pelo Brasil. As quatro estrelas representam os pontos cardeais. As listas brancas representam o dia e as listas pretas representam a noite, os paulistas, de dia ou de noite e de qualquer lugar, defendem o Brasil com seu sangue, representado pela cor vermelha envolvendo o mapa 

SOCIEDADE DE VETERANOS DE 1932-MMDC

 Anos após o término dos combates, os participantes da revolta formaram a Sociedade de Veteranos de 1932-MMDC, que veio a ser oficializada somente em 1954. Em Catanduva, o saudoso professor Brasil Procópio de Oliveira, pesquisou com grande afinco as causas e os efeitos da revolução. Foi um dos fundadores da Associação dos Veteranos da Revolução de 1932 de Catanduva, além de organizador do Museu Pedro de Toledo, que lembra os acontecimentos de 1932

PRAÇA 9 DE JULHO

Até 1934, a Praça São Domingos era formada por duas quadras, localizadas entre as ruas Minas Gerais e Recife, e entre as ruas Brasil e Pará. No dia 9 de julho deste mesmo ano, parte da população catanduvense, se reuniu nesse local, para prestar homenagem a Antonio Ortega e Josué Grande. O prefeito Coriolano de Oliveira Mello, decretou a partir de então, que a Praça São Domingos passaria a se chamar Praça 9 de Julho. No ano de 1973, o prefeito Pedro Nechar, nomeou a quadra onde está localizada Igreja Matriz, como Praça Monsenhor Albino.

ESTÁTUA SOLDADO CONSTITUCIONALISTA

A estátua do Soldado Constitucionalista, localizada na Praça 9 de julho, é obra do artista plástico Oscar Valzacchi. O monumento, que parece ser feito de bronze, na realidade é de concreto e foi pintado na cor bronze. Na Praça 9 de julho desde a primeira administração do prefeito Antonio Borelli (1956-1959), passou por várias restaurações e é uma justa homenagem da população catanduvense àqueles que participaram da revolução de 1932.

PAINEL “A DESPEDIDA” OU “A PARTIDA”

Desenhado pelo artista Luis Antonio Melhado, o painel faz parte de uma lembrança viva do movimento revolucionário de 1932. Foi inaugurado durante os eventos que lembravam o cinqüentenário da revolução, em 1982 e faz parte de nosso “Altar da Pátria”, onde ocorrem solenidades cívicas até os dias atuais.

 MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO “GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO”

No ano de 1956, o governo do estado de São Paulo, passou a inaugurar vários museus Históricos e Pedagógicos por todo o interior paulista. Porém, foi somente em 1969, que Catanduva recebe o 52° Museu Histórico e Pedagógico do Estado de São Paulo, e ficou decido que a temática principal do museu seria a Revolução de 1932, pois de vários soldados nossa cidade lutaram nos campos de batalha. O nome escolhido para o museu foi “Governador Pedro de Toledo”, em homenagem ao governador paulista na época da revolução.