Neolítico

Desenvolvimento da agricultura

Neolítico

 

O Neolítico, é o último período da Pré-História e, caracteriza-se por profundas mudanças. Nesse momento, começou a aparecer as primeiras comunidades, que trocaram o nomadismo pelo sedentarismo.

                                                     

 

As consequências dessas mudanças, são encontradas no  modo de produção de alimentos,  na expansão das áreas ocupadas pelas comunidades agro-pecuárias, nas migrações de grupos populacionais e na sua fixação em locais apropriados para a prática da agricultura (terras férteis e ambientes climáticos e geográficos favoráveis).

Os camponeses e pastores substituem os caçadores-coletores.

Entre 6.000 e 5.000 a.C., já parte dos Homens que viveram no . Além disso, tinham domesticado ovelhas, cabras e porcos; de onde retiravam: carne, leite, queijo, pele, cabedal, lã, ossos, chifres.

O aumento da produção criou os excedentes e, permitiu as trocas de produtos, que deram origem ao comércio.

Acredita-se que o trabalho especializado, as cidades, a propriedade privada, a desigualdade social, o Estado e a escrita surgiram primeiramente na Mesopotâmia e no Egito.

 Idade dos Metais

 

Por volta do ano 6000 a.C., o Homem obteve uma importante conquista: descobriu que era possível fazer objetos de metais: cobre, estanho e bronze.

O primeiro metal trabalhado foi o cobre. Depois, por meio da fusão, o Homem misturou cobre com estanho e obteve um metal mais resistente, o bronze. Assim passou a produzir armas mais poderosas e ferramentas mais eficientes. Por volta de 1500 a.C., conseguiu utilizar o ferro.

O uso dos metais, foi o principal fator para o aperfeiçoamento dos instrumentos e das técnicas usadas na guerra, na caça e na agricultura. Os objetos de metais mais antigos foram encontrados no Irã, na Turquia e no Líbano.

 

Com a agricultura, a criação de animais, o desenvolvimento da cerâmica, da tecelagem e o uso de metais, surgiram os trabalhadores especialistas, como o tecelão e o ferreiro.

Arqueólogos encontram em Israel sinagoga da época de Jesus Cristo

Texto: Arqueólogos israelenses descobriram no domingo as ruínas do que eles acreditam ser uma das mais antigas sinagogas do mundo.

Segundo a arqueóloga Dina Avshalom-Gorni, as ruínas descobertas no norte de Israel são da época do Segundo Grande Templo de Jerusalém, entre os anos 50 antes de Cristo e 100 depois de Cristo.

O local das escavações, a praia de Migdal, na costa do Mar da Galileia, é citado tanto em escrituras judaicas quanto cristãs.

Menorá

Durante os trabalhos, os arqueólogos encontraram uma pedra gravada com uma imagem de uma menorá, o candelabro de sete velas utilizado em cerimônias religiosas judaicas.

A menorá é um símbolo do judaísmo de mais de 3 mil anos e também o emblema nacional de Israel. A imagem gravada na pedra encontrada nas escavações aparece em cima de um pedestal e ladeada por ânforas.

Segundo os arqueólogos, esta é a primeira vez que uma imagem de uma menorá é encontrada em uma escavação fora de Jerusalém.

Maria Madalena

A cidade de Migdal, sob o nome aramaico de Magdala, é citada nas escrituras cristãs como o local de nascimento de Maria Madalena, uma das mulheres que acompanharam Jesus Cristo e que depois foi tornada santa.

Segundo Avshalom-Gorni , é possível supor que a comunidade que seguiu Jesus na Galileia frequentava a sinagoga descoberta.

Fonte: Uol Notícas

Clique abaixo e assista ao video

http://www.bbc.co.uk/portuguese/multimedia/2009/09/090914_sinagoga_ruina_video_rw.shtml

Prof. Candido

PRIMEIRO DE ABRIL…

AS ORIGENS

Existem várias explicações para o surgimento do dia da mentira. Uma delas conta que, em 1564, o rei da França Carlos IX determinou que o Ano Novo fosse comemorado no dia 1º de janeiro, depois da adoção do calendário gregoriano, e isso foi seguido por vários outros países europeus. O Ano Novo costumava ser comemorado no dia 1º de abril. A mudança gerou muita confusão e alguns franceses resolveram manter a tradição, mas de uma forma debochada: os engraçadinhos mandavam presentes esquisitos e convites de festas que não existiam para os conservadores da época.

CURIOSIDADES

Para comemorar o Dia da Mentira, jornais do mundo todo publicam falsas notícias, geralmente com fatos absurdos. Confira abaixo algumas delas.
1- A África do Sul comprou Moçambique por US$ 10 bilhões. O anúncio do negócio fora feito na Organização das Nações Unidas pelo presidente sul-africano Nelson Mandela. Publicado pelo Jornal Star, de Johannesburgo.

2- A Rádio Medi, de Tânger, no Marrocos, noticiou que o Brasil não iria participar da Copa do Mundo porque o dinheiro da seleção seria usado na luta contra o incêndio em Roraima.

3- A minúscula república russa Djortostão declarou guerra ao Vaticano. Motivo: arrebatar o título de menor Estado da Europa. Paratanto, ele teria doado seis metros quadrados de seu território a uma república vizinha. Isso tudo de acordo com o jornal Moscou Times.

4- Diego Maradona, ex-capitão da seleção argentina de futebol, é o novo técnico da seleção do Vietnã. Deu nos principais jornais vietnamitas.

5- Ao deixar o Senegal, o presidente americano Bill Clinton seria acompanhado de uma comitiva formada pelos primeiros 50 senegaleses que fossem à embaixada para pedir visto de entrada nos EUA. Assim informou o jornal Le Soleil, do Senegal. Centenas de senegaleses acreditaram na mentira e correram para a embaixada americana.